Minha Empresa Apresenta Lucro Ou Prejuízo

Minha Empresa Apresenta Lucro ou Prejuízo??

O objetivo deste pequeno texto é trazer uma reflexão se sua empresa apresenta LUCRO ou se realmente apresenta PREJUÍZO.

Nestes meus longos 22 anos de prática contábil, vivenciando diariamente o atendimento ao pequeno empresário, tenho deparado com situações em que o empresário tem certeza que sua empresa vem apresentando prejuízos ao longo dos anos e ele continua pagando impostos cada dia maiores, “como pode então pagar tantos impostos se a empresa só apresenta prejuízo?”, esta é a pergunta da maioria que consegue sobreviver a nossa imensa carga tributária, que segundo dados do SEBRAE, geram a falência da maioria das pequenas empresas em menos de 5 anos.

Mas como profissional contábil, vejo que muitas vezes temos que orientar melhor os nossos empresários, será que realmente a empresa apresenta constantes prejuízos?

Para isto sempre pergunto ao empresário se a empresa está em pleno funcionamento e se ele tem outra atividade que traga outra renda para a família, a grande maioria das respostas é que está em funcionamento e que ele não tem outra renda. A renda vem somente da pequena empresa.

Com isso mostro que a empresa não está “dando prejuízos”, pois é da empresa que se paga as despesas pessoais, como agua, luz, telefone, escola dos filhos, gastos pessoais em geral, ou seja, ele pode não está vendo o dinheiro no final do mês, mas as suas contas estão pagas, portanto a empresa é lucrativa, talvez não o tanto quanto ele gostaria.

Para que o empresário consiga visualizar esta situação, sempre oriento colocar em uma planilha todas estas despesas fixas que ele tem em casa e peço para que ele anote durante uma semana ou um mês, tudo que ele retirou da empresa para pagar gastos pessoais, e comparo com a receita da empresa, normalmente eles assustam, pois o que retiram é sempre bem superior do que imaginavam.

Concordo que nossa carga tributária é bem elevada, e precisamos de uma reforma urgente, mas quero deixar algumas perguntas para que nós empresários reflitamos:

  • Será que realmente estamos sabendo o quanto retiramos de nossas empresas?
  • Será que estamos separando a pessoa física da jurídica, e vivendo com uma retirada fixa todo o mês? Ou sempre que eu precisar eu recorro ao caixa ou conta corrente da empresa?
  • Será que meu padrão de vida está de acordo com o que minha empresa consegue suportar de retirada mensal? Ou preciso fazer um ajuste?

Precisamos sim investir em divulgação, marketing, em aumentar as vendas, em diminuir os impostos, mas devemos responder sinceramente as 3 perguntas acima, e se adequar a realidade de nossa empresa, afinal, se continuarmos retirando mais do que ela suporta, em bem pouco tempo, ficaremos sem dinheiro para arcar como os compromissos da empresa, o que nos levará a ser mais uma empresa a falir com o decorrer dos anos.

 

Vamos pensar juntos??

 

Kelly Jeanne De Oliveira, contadora, empresária contábil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *